Publicidade
Publicidade

09/05/2022 16:36h - Polônia - Mundo

Embaixador russo é atacado com tinta vermelha por manifestantes na Polônia

Protesto aconteceu enquanto Sergei Andreev se dirigia ao cemitério de soldados soviéticos na capital polonesa como parte das celebrações do "Dia da Vitória"

O embaixador russo na Polônia, Sergei Andreev, foi encharcado de tinta vermelha enquanto tentava colocar uma coroa de flores no cemitério de soldados soviéticos em Varsóvia, informou a agência de notícias estatal russa RIA Novosti nesta segunda-feira. A guerra na Ucrânia lançou uma sombra sobre o Dia da Vitória deste ano, quando Moscou homenageia os 27 milhões de cidadãos soviéticos que perderam a vida na Segunda Guerra Mundial. A Polônia, um forte defensor da Ucrânia em sua resistência à invasão da Rússia, se opôs a qualquer comemoração em grande escala. Imagens de vídeo postadas no Twitter mostraram os manifestantes, alguns com bandeiras ucranianas, cercando a delegação russa e cantando “fascistas” antes que o embaixador fosse mergulhado na substância vermelha, veja abaixo. O embaixador Sergey Andreev disse a repórteres que ele e sua equipe não ficaram gravemente feridos no incidente, informou a agência de notícias TASS. “Faremos um protesto formal”, disse ele. “Quando eles recomendaram que não realizássemos um evento maior, nós os encontramos no meio do caminho, tentamos não piorar a situação.” Referindo-se ao incidente, a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, alegou via Telegram que “os fãs do neonazismo mais uma vez mostraram seu rosto – e é sangrento”. “A demolição de monumentos aos heróis da Segunda Guerra Mundial, a profanação de sepulturas e agora a interrupção da cerimônia de colocação de flores em um dia santo, celebrada por toda pessoa decente, prova o óbvio – o Ocidente estabeleceu um curso para a reencarnação do fascismo”, disse ela. No início do dia, as palavras “Mate Putin” foram encontradas escritas em azul e amarelo, as cores da bandeira ucraniana, em um monumento no cemitério, informou a emissora privada TVN24. A pichação foi posteriormente removida. Um manifestante entrevistado pela TVN24 disse que era bom que o embaixador estivesse coberto de vermelho. “Com todo o nosso coração, estamos com Mariupol”, disse ela, referindo-se à cidade do sudeste da Ucrânia que foi devastada pela guerra. Mais de três milhões de ucranianos fugiram para a Polônia desde que a guerra começou em 24 de fevereiro. A Polônia, sede do sindicato Solidariedade, que desempenhou um papel fundamental na derrubada do comunismo na Europa Central e Oriental, há muito tem uma relação tensa com a Rússia e é defensora de duras sanções contra Moscou por sua invasão da Ucrânia. O presidente russo, Vladimir Putin, enviou suas tropas para a Ucrânia no que ele chama de “operação militar especial” para desmilitarizar e “desnazificar” a Ucrânia. A Ucrânia e o Ocidente dizem que Putin lançou uma guerra de agressão não provocada. Um porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Polônia disse que não tinha comentários imediatos sobre o incidente. Um porta-voz da polícia não pôde ser encontrado imediatamente para comentar.
Publicidade

Fonte: CNN Brasil

Publicidade

Notícias relacionadas

Publicidade