Publicidade
Publicidade

13/05/2022 17:09h - Rússia - Mundo

Rússia cortará fornecimento de eletricidade para a Finlândia no sábado, diz operadora

Operadora do sistema de transmissão da Finlândia, Fingrid, publicou um comunicado nesta sexta-feira (13) - Foto: Reprodução/CNN Brasil (22.mar.2021).

A Rússia suspenderá as exportações de energia para a Finlândia a partir de sábado (13) devido a problemas no recebimento de pagamentos, disse a operadora do sistema de transmissão da Finlândia, Fingrid, em comunicado nesta sexta-feira (13). “A RAO Nordic Oy, uma subsidiária da entidade russa Inter RAO, que comercializa eletricidade pelos interconectores de 400 kV, suspenderá as importações de eletricidade para a Finlândia à 1h da manhã de sábado, 14 de maio de 2022”, segundo Fingrid. A subsidiária disse que não recebe pagamentos pelos volumes vendidos desde 6 de maio e que esta é a primeira vez que isso acontece em mais de 20 anos de sua história de negociação. “Infelizmente, na atual situação de falta de receita em dinheiro, a RAO Nordic não pode fazer pagamentos pela eletricidade importada da Rússia. Portanto, somos forçados a suspender a importação de eletricidade a partir de 14 de maio”, disse a RAO Nordic Oy. Segundo Fingrid, a adequação da eletricidade na Finlândia não está ameaçada, com as importações russas nos últimos anos cobrindo 10% do consumo total da Finlândia. “A falta de importação de eletricidade da Rússia será compensada importando mais eletricidade da Suécia e gerando mais eletricidade na Finlândia”, disse Reima Päivinen, vice-presidente sênior de operações do sistema de energia da Fingrid. Algum contexto: O governo finlandês está planejando publicar um segundo documento no domingo propondo que o país se junte à Otan, disse o ministro das Relações Exteriores da Finlândia, Pekka Haavisto, a repórteres na quinta-feira. A proposta seria então colocada em votação parlamentar com uma plenária marcada para segunda-feira (16) de manhã. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a possível adesão da Finlândia à Otan marca uma “mudança radical na política externa do país” e alertou sobre contramedidas. “A Rússia será forçada a tomar medidas de retaliação, tanto de natureza militar-técnica quanto de outra natureza, a fim de interromper as ameaças à sua segurança nacional que surgem a esse respeito”, afirmou. No final de abril, a Gazprom disse que interrompeu totalmente o fornecimento à empresa de gás polonesa PGNiG e à Bulgargaz da Bulgária depois que se recusaram a atender a uma demanda de Moscou de pagar em rublos em vez de euros ou dólares. Por Chris Liakos
Publicidade

Fonte: CNN Brasil

Publicidade

Notícias relacionadas

Publicidade