Publicidade
Publicidade

05/08/2022 22:00h - Brasília - Política

“Não participei de orgia com Zé Dirceu. Já ouvi que sou gay. Eu não sou gay”, diz Barroso

Ministro do STF comentou sobre informações falsas a seu respeito; “a única coisa que ofende é a verdade”, afirma. Foto: Roberto Jayme/ASCOM/TSE

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Roberto Barroso comentou nesta 6ª feira (5.ago.2022) sobre informações falsas que já circularam nas redes sociais sobre ele. Postagens diziam que o magistrado havia participado de uma orgia com o ex-ministro José Dirceu (PT). Em tom descontraído, disse que não ser “dado a orgias”. “Eu não participei de uma orgia com o ex-ministro Zé Dirceu. Eu nunca fui a Cuba. Eu não sou dado a orgias. Eu não tenho nenhum tipo de contato com o ex-ministro”, afirmou. As declarações foram feitas durante palestra no 17º Congresso da Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo). O ministro disse que não tem problemas com mentiras contra ele. “A minha experiência na vida desde que eu entrei para o Supremo, é que a única coisa que ofende é a verdade. Se for mentira, não tem problema”, declarou. “Eu ouço as maiores barbaridades. Já ouvi que sou gay. Eu não sou gay, mas não me sinto ofendido, não é uma coisa que me ofenda. É uma circunstância da vida.” O próprio Dirceu acionou o STF em julho de 2021 pedindo investigação sobre publicações falsas que o relacionam a Barroso. Declarações diziam que o ex-ministro estaria chantageando o magistrado por ter vídeos comprometedores. O autor do texto não apresentou nenhuma evidência. Ainda assim, a narrativa passou a circular em grupos bolsonaristas. O presidente Jair Bolsonaro disse dias depois em seu perfil no Twitter que “uma autoridade” estaria sendo chantageada por “Daniel”, codinome usado por Dirceu na época em que participava de movimentos clandestinos contra a ditadura militar (1964-1985). Agências de checagem de notícias, como o Aos Fatos, já informaram que os conteúdos se baseiam em uma distorção de entrevista de Barroso. No material, o ministro cita as notícias falsas a seu respeito como exemplo de desinformação.
Publicidade

Fonte: Poder360

Publicidade

Notícias relacionadas