Publicidade
Publicidade

06/05/2022 00:01h - Estados Unidos - Saúde

Coração de porco transplantado para humano estava infectado

Coração de porco transplantado para humano estava infectado. Imagem: Divulgação

Médico que realizou o primeiro transplante de um coração de porco para um humano afirmou que o órgão estava infectado com porcine cytomegalovirus, um tipo de vírus suíno. David Bennett, de 57 anos, o paciente que recebeu o órgão animal, morreu em março e o grupo de médicos responsável por seu transplante estava investigando as causas de seu óbito. “Estamos começando a entender por que ele faleceu”, disse Bartley Griffith, cirurgião de transplantes da Universidade de Maryland. Griffith apontou que a presença do vírus suíno pode ter contribuído para a morte do paciente. A presença do vírus foi detectada 20 dias após a cirurgia, mas a quantidade era tão baixa que não foi considerado um “erro de laboratório”. Depois de um mês do transplante, foi notado que a presença do vírus começou a aumentar. A empresa responsável pelo transplante, Revivicor, se negou a comentar o assunto. O porco que forneceu o coração para o transplante fazia parte de um rebanho geneticamente modificado. Entre as mudanças, estava um procedimento para remover um gene que poderia gerar uma resposta imune humana que rejeitaria o órgão. “Era morrer ou fazer esse transplante. Eu quero viver. Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última opção”, contou o paciente na época da cirurgia. “Ele provou ser um paciente corajoso e nobre, que lutou até ao fim. O senhor Bennett ficou conhecido por milhões de pessoas pelo mundo inteiro pela sua coragem e firme vontade de viver”, disse o médico responsável após a notícia do falecimento de Bennett.
Publicidade

Fonte: Olhar Digital

Publicidade

Notícias relacionadas

Publicidade