Rondônia, 10 de julho de 2020

NOTÍCIAS

23/06/2020 08:43

Porto Velho

Escondido pela mídia, depoimento de ministro do STF é lição de direito e da verdadeira Justiça

Opinião de Primeira por Sérgio Pires

Escondido pela mídia, depoimento de ministro do STF é lição de direito e da verdadeira Justiça

Não pode existir a figura do Juiz inquisidor. “Se o órgão que acusa é o mesmo que julga, não há garantia de imparcialidade. E haverá tendência em condenar o acusado”. A primeira frase, faz parte do contexto. A que está entre aspas, é um trecho transcrito na íntegra. Os comentário fazem parte de um vídeo que, incrivelmente, foi totalmente ignorado pela mídia, num pronunciamento histórico do ministro Marco Aurélio de Mello, sobre o que ele chamou de “processo natimorto”, decidido pelo ministro Alexandre de Moraes e apoiado pela grande maioria dos seus pares, em que o magistrado determina a investigação, aponta quem deve ser investigado e, mais adiante, vai julgar os denunciados. Que chances os réus terão de um julgamento justo? Não fosse a impressionando mudança de rumos da maioria dos ministros do Supremo, que têm feito julgamentos claramente politizados, a decisão de Alexandre de Moraes seria jogada no lixo na História, por ser absurdamente ilegal, em sua essência. Mas não agora. Nesse momento, a guerra da maioria dos membros do STF é contra o atual governo e seus seguidores, ao passo que os opositores, mesmo que cometam os mesmos delitos, têm tratamento claramente diferenciado. Pela mídia, principalmente, mas aí não há nada que se possa fazer, a não ser lamentar. Mas quando o mesmo caminho é seguido pelo mais importante tribunal do país, há sim que nos preocuparmos.

Como as declarações bombásticas de Marcos Aurélio de Mello foram ignoradas, porque ele foi contra as regras do “contra o governo vale tudo”, o ministro fez um depoimento que merece ser visto ao menos por grande parte dos brasileiros, que têm sido doutrinados por decisões parciais e, eventualmente, assustadoras. O resumo do depoimento dura 3 minutos e 45 segundos. É uma lição sobre Direito, Democracia e sobre a verdadeira Justiça. Para que esse depoimento histórico não seja escondido da população, como se nunca tivesse existido, é importante que se tenha acesso a ele. No link https://www.youtube.com/watch?v=m9xGGHetvA4, o leitor dessas mal traçadas, que ainda não assistiram ao puxão de orelhas que um dos decanos do STF deu em seus colegas, pode agora fazê-lo. Todos os lados da notícia precisam ser mostrados, sob pena de que a Verdade seja substituída pela doutrinação ideológica a que estamos sendo submetidos. O vídeo está lá. É só abrir, ver e ouvir. E ficar impressionado com a parcialidade com que as informações tem sido transmitidas ou têm sido escondidas do grande público.

COVID: MAIS CONTAMINADOS E MAIS MORTES

Não há o que comemorar. Pelo contrário. A noite da segunda-feira trouxe novos e assustadores números relacionados com o avanço do corona vírus em Rondônia, onde chegamos a 15.827 contaminados e, infelizmente, a 432 mortes. Percentualmente, os óbitos no Estado são a metade da média nacional. Mas tantas vidas perdidas não são números. Cada uma delas afeta a dezenas, centenas de pessoas e, a soma de todos os que estão se indo com a doença, afeta a cada um dos rondonienses. Ainda estamos no epicentro da doença, a curva ainda é ascendente e temos que continuar com todos os cuidados. Em Porto Velho, a vida praticamente voltou ao normal. O trânsito no centro da cidade, nesta segunda, era de um dia normal, pré pandemia. Nas lojas, muitos cuidados, mas muita gente também. O governo está lutando para ampliar os leitos de UTI, já que os leitos normais já aumentaram. Mas a doença avança, hospitaliza, joga na UTI e mata. Até quando vamos sofrer com essa terrível Covid 19, que veio da China para matar nossos entes queridos e pessoas de todo o Brasil e do mundo inteiro?

VERSÕES E DESINFORMAÇÃO

Até a noite da segunda-feira não havia nenhum posicionamento do Palácio Rio Madeira/CPA em relação às declarações do prefeito Hildon Chaves, que fez duras críticas às decisões do Estado em relação ao combate ao corona vírus e que defendeu que se retomasse o lock down em Porto Velho. O governador Marcos Rocha mantém o decreto de abertura gradual da economia, enquanto o secretário Fernando Máximo luta para abrir mais leitos comuns e de UTI nos hospitais. No Porto Velho Shopping, o superintendente Cássio Mendonça garantiu que o centro de compras está tomando todas as medidas preventivas para impedir a doença e vários empresários foram às redes sociais, se pronunciarem contra o lock down, alguns com críticas ácidas à administração municipal, por defender a ideia. Uma ala, liderada pelo Conselho Municipal de Saúde, com aval do Conselho Estadual, ambos com diretores ligados à CUT (sim, ela existe, ainda!), exigem a volta do lock down. A OAB também emitiu nota apoiando a volta do isolamento total. Começou tudo de novo: no meio da pandemia, cada lado defende o que considera correto. No meio disso tudo, o empresariado (os que sobreviveram à crise, porque parte das empresas não reabrirá mais) e o povão ficam totalmente perdidos. O que acontecerá, daqui para a frente? Ninguém sabe!

LÉO MORAES E CIÇA ANDRADE: DOBRADINHA?

O caso ainda está sendo estudado. Com calma. Mas as conversas estão andando. A questão envolve a disputa pela Prefeitura de Porto Velho, que, por enquanto, só tem candidatos a candidato, já que ninguém confirmou ainda, oficialmente, que estará na briga. Nem o prefeito Hildon Chaves, que diz que só decidirá em julho, mas, ao que tudo indica, vai sim. O que há de novo, correndo pelos bastidores, é de que o deputado federal Léo Moraes, até há pouco avesso à ideia de concorrer de novo, estaria repensando o assunto. Há quem diga que Léo poderia ter como vice, numa eventual chapa, a comandante geral da Banda do Vai Quem Quer, Ciça Andrade. Casada com o deputado estadual Eyder Brasil, Ciça poderia ser um elo de ligação entre a dobradinha e o Palácio Rio Madeira/.CPA. Eyder é o líder do governo na Assembleia. Claro que, até agora, ninguém confirma oficialmente nada. Nem que haja conversa. Mas há!

SEM THIAGO, UMA ELEIÇÃO MUITO DISPUTADA

Nomes importantes da política de Ariquemes andam também se mexendo, em direção à campanha municipal que se aproxima. Alguns deles estarão fora do páreo, como o prefeito Thiago Flores que, mesmo fazendo uma boa administração, com resultados bastante positivos para a cidade, causou surpresa ao avisar que não concorrerá à reeleição. Será candidato a deputado federal, contudo, em 2022. Ernandes Amorim, que de senador para baixo já ocupou todos os cargos políticos possíveis, também está fora. Dois ex deputados, contudo, podem aparecer na relação dos pretendentes: Saulo Moreira, do MDB e Tiziu Jidalias, hoje no Solidariedade, comandado em Rondônia pelo ex governador Daniel Pereira. Também é certo que estará com sua foto na urna o jovem Lucas Follador, filho do deputado Adelino Follador e vice-prefeito da cidade, embora rompido com o Prefeito desde o início da atual administração. Mary Braganhol, também do MDB e que foi secretária de agricultura no governo Confúcio Moura, é outro nome que anda sendo cotado. As definições devem ser anunciadas nas próximas semanas...

A ALTA ROTATIVIDADE NOS PRESÍDIOS CONTINUA

O sistema penitenciário rondoniense já é, há muito tempo, motivo de piadas em todo o Estado, pela facilidade com que acontecem fugas de uma forma tão constante que há que chame as cadeias de “hotéis de alta rotatividade”. Tanto na Capital como no interior, os presos conseguem escapar na moleza, muitos deles de alta periculosidade, que saem novamente às ruas para voltar a infernizar a população. Em Porto Velho, em pouco mais de uma semana, mais de uma dezena e meia de bandidos escafederam-se do sistema prisional, muitos deles recapturados, embora não antes de cometer assaltos, roubos e até manterem famílias inteiras sob as miras de armas. No último domingo, aproveitando a moleza que é sair das celas, cinco bandidões conseguiram também fugir. Enquanto a pandemia corre solta, a criminalidade dá um salto na Capital e algumas cidades do interior. Em Porto Velho, o número de assaltos é impressionante. Além dos canalhas que estão à solta, atacando a população, ainda temos que suportar a nova leva de foragidos (aqueles que os idiotas chamam de reeducandos) do Urso Branco e outros presídios. Uma vergonha!

MORO: DEZ VEZES MAIS CONTRA DO QUE A FAVOR

Depois dos louros, as pedras jogadas. Depois da fama de xerifão, a mancha do egoísmo e da traição. Sérgio Moro saiu da glória como um semideus do Judiciário e, agora descer à vala dos simples mortais, está sentindo na pele se envolver no pesado mundo da política. Depois da desastrada passagem pelo governo Bolsonaro, onde jamais se acertou com o chefe, Moro voltou à vida civil, com sonhos de uma candidatura à Presidência em 2022. Nessa semana, estreou uma coluna, assinando-a na Revista Crusoé, claramente de oposição ao governo, como a maioria das publicações brasileiras. Nas primeiras horas, a decepção. Dos cerca de 40 mil acessos que teve, 13 mil o apoiaram e perto de 128 mil desaprovaram a publicação e a nova carreira de Moro, até o meio dia da segunda. Dez vezes mais opiniões contrárias do que a favor. Moro deve estar sofrendo por quão errada ter sido sua decisão de largar a toga, com a qual se sentia tão bem e era tão admirado pelos brasileiros. Agora é tarde!

A PIOR HISTÓRIA DESDE GETÚLIO

Está cada vez pior. A parcialidade no noticiário é alguma coisa jamais vista na história do Brasil, incluindo o período em que Getúlio Vargas era o presidente e grande parte da imprensa se voltou contra ele e seu governo. Isso aconteceu há mais de 65 anos. Agora, qualquer ação do atual governo, por menor que seja, se transforma em escândalo. Suspeitas, em condenações. Se vem do governo, é crime. Se vem da oposição, mesmo que a prática seja idêntica, é luta pela democracia. Qualquer que seja a notícia, ela é sempre tendenciosa, sem chance do contraditório. Além disso, pressionado pela mídia, um Congresso fragilizado e um Judiciário com superpoderes, principalmente no STF, estamos vendo um dos eventos mais lamentáveis da grande imprensa brasileira de todos os tempos. Os derrotados de 2018 não aceitam o resultado das urnas, porque as urnas lhes tiraram a grana e os privilégios. Nosso país está rachado e, em plena pandemia, não sabemos qual será nosso futuro. Entregaremos os cofres públicos, de novo, para os mesmos ladrões, que continuam soltos?

PERGUNTINHA

Na sua opinião, na guerra ao corona, está correta a abertura gradual e segura do comércio ou devemos voltar ao lock down?


Fonte:Sérgio Pires





Últimas notícias

Carregando...

Notícias relacionadas

Carregando...
Carregando...