Rondônia, 23 de outubro de 2020

NOTÍCIAS

19/12/2019 07:07

Porto Velho

Pela primeira vez em anos, João Paulo II não tem nenhum doente nos corredores

Opinião de Primeira por Sérgio Pires

Pela primeira vez em anos, João Paulo II não tem nenhum doente nos corredores

Uma cena inédita, que não se via há pelo menos uma década e meia. Parecia algo surreal. Segunda-feira amanheceu com os corredores do tenebroso, assustador, superlotado hospital João Paulo II, totalmente vazios. Nem um só doente jogado ao chão. Três dias depois, ainda vazios... Ali, a capacidade de pouco mais de 140 leitos era sempre adaptada para o dobro de pacientes, quando não o triplo. Gente doente, sofrendo, por vezes gritando de dor, se espalhava até pelas áreas externas, em macas que podiam ser alcançadas pelo sol e pela chuva. As cenas eram perto do horror, como naqueles filmes de hospitais de campanha em guerras violentas que marcaram a história da humanidade. Pois, não se sabe até quando, o João Paulo II deixou de ser uma espécie de câncer da saúde pública, como perdão do trocadilho, para voltar a ter cara de um hospital comum, de qualidade, atendendo as pessoas de uma forma muito melhor e, certamente, com resultados muito melhores. Foi criado um sistema de rotatividade de leitos. Só fica no JP quem realmente está precisando ficar. O Estado contratou leitos particulares, mandando pelo menos 60 doentes para eles, tanto no Hospital Samar quanto no das Irmãs Marcelinas. A infernal burocracia que permitia o doente que poderia ir logo para o Hospital de Base, mas ficava horas esperando transferência, acabou. Se tem que ir para o HB, vai rapidamente. Lá, no Hospital de Base, foi criado um serviço de pequenos procedimentos, que atendem justamente o que as UPAs municipais não fazem. Ou seja, nesses casos, ao invés de ficar amontoados em corredores, os pacientes que não precisam de grandes procedimentos médicos são atendidos no HB e no mesmo dia vão para casa.

Há toda uma enorme equipe trabalhando para que as coisas melhorem na saúde. A que compõem o time do SOS João Paulo é uma delas. Mas tem que se destacar a eficiência, dedicação e esforço desmedido do secretário Fernando Máximo, para que as coisas melhorem na área da saúde, no Estado. Em menos de um ano de trabalho, sua secretaria já atendeu milhares de pessoas, acabando com enormes filas em cirurgias oftalmológicas, por exemplo, onde mais de duas mil pessoas já foram atendidas. A estrutura do setor, como um todo, está melhorando, embora trabalhar com a saúde pública seja, mais ou menos, como ser operário de uma fábrica de enxugar gelo. Há sim melhorias significativas. Não se sabe quanto tempo o João Paulo II ficará sem sua histórica superlotação. Mas há que se comemorar que, depois de tantos anos, seus corredores estavam limpos, brilhando, sem sequer um rondoniense jogado nos colchoes, para longas esperas de atendimento. Melhorou sim. Tomara que permaneça assim..

PF: AS OPERAÇÕES NÃO PARAM

Conforme a coluna tem comentado seguidamente, a Polícia Federal continuará realizando operações em todo o país e no Estado também, pelo menos até 31 deste dezembro. Nesta quarta, a ação central foi em Vilhena, na operação Dreno, envolvendo e colocando na condição de suspeitos, personagens conhecidos da política regional. A atuação dos federais chegou ainda às cidades de Nova Brasilândia, Machadinho do Oeste, Rolim de Moura, Porto Velho e Brasília. Basicamente, as acusações são direcionadas a licitações fraudulentas, onde os denunciados tinham poder para decidir quem seria beneficiado. Segundo nota oficial da PF, pelo menos 4 milhões e 200 mil reais seriam os prejuízos causados ao erário público. Muitas informações em que se baseou a operação, embora não haja confirmação oficial, foram obtidas através de delação premiada, obtida via acordo feito com o Ministério Público e com aval da Justiça, pelo ex prefeito José Rover. Réu em vários processos, ele já tem condenações que chegam a mais de 55 anos de prisão. Nos próximos dias, certamente e saberá mais detalhes acerca dessa operação policial em Rondônia. É a quinta, em poucas semanas. Nos próximos dias, antes de 1° de Janeiro, vai ter mais....

BAGATOLLI CONVOCA PARA A ALIANÇA

Nesta quinta, em todas as regiões do país, partidários do presidente Jair Bolsonaro começam a se desfiliar do PSL e assinar fichas de adesão na “Aliança pelo Brasil”, a 36ª sigla política criada no país, onde os partidos não seguem ideologias e nem programas, mas apenas servem aos seus líderes. Em Rondônia, o grupo autodenominado “Movimento de Direita”, que tem à frente o empresário Jaime Bagatolli, de Vilhena, que foi candidato ao Senado pelo PSL e, por causa de Bolsonaro, fez 212 mil votos, está convidando para encontro em Porto Velho, nesta quinta, a partir das três da tarde. O evento, com convite do próprio Bagatolli e do deputado federal Coronel Chrisóstomo. Acontece no hotel Gold Plaza, na avenida Jorge Teixeira (BR 319). Chrisóstomo, contudo, não tem ainda como deixar o PSL, já que se o fizer, sem que existam razões muito sólidas, ele poderá perder o mandato. O mesmo acontece com o deputado estadual Eyder Brasil, o único eleito pelo PSL no Estado. Ele já avisou que seguirá Bolsonaro, mas só poderá fazê-lo também se comprovar que é perseguido pela sigla ou seja expulso dela. Os mandatos não são dos parlamentares eleitos, mas sim de seus partidos e coligações.

ALIANÇA: DIVISÃO SE MANTÉM

A questão do novo partido de Bolsonaro, ainda terá muitos obstáculos à frente. O primeiro será conseguir 500 mil assinaturas para criar o novo partido. Depois, ainda haverá a luta contra o tempo, até que o TSE o autorize. Só poderá lançar candidaturas nas eleições municipais, ano que vem, caso esteja tudo OK um ano antes do dia do pleito. Há outra questão importante: as divergências regionais, como ocorre em Rondônia, onde o grupo do governador Marcos Rocha é adversário do de Bagatolli e, obviamente, o contrário também é verdadeiro. O empresário vilhenense sabe que para a reunião em que está convidando membros do partido, estarão somente os que se postaram contra o Coronel Governador e sua turma. Da ala governista, haverá alguém presente à reunião do Hotel Plaza? Quase impossível. Mas, como em política as coisas podem mudar da noite para o dia, até esse milagre pode acontecer. Esperemos para ver...

UM DIA, A HISTÓRIA VAI CONTAR A VERDADE!

A injustiça cometida contra o senador rondoniense Acir Gurgacz, que como fiador de um empréstimo à empresa da sua família, foi condenado por pretenso crime contra o sistema financeiro, embora o empréstimo tenha sido rigorosamente pago, enfim começa a ver a verdadeira Justiça como uma luz no fim do túnel. O ministro Alexandre de Moraes, que tratou sempre do caso com extrema dureza, no que se poderia supor até que seria uma espécie de questão pessoal, agora decidiu por dar ao senador a liberdade condicional. Acir continua sua atuação no Senado, embora sua carreira política, certamente muito afetada pelo episódio, possa ter sofrido prejuízos irreversíveis. A condenação, pelo STF, no que pode se chamar de firulas jurídicas, foi uma daquelas histórias que só a verdadeira História, quando tudo for descoberto, será contada corretamente. Acir viajou para passar o Natal com a família e volta em janeiro, para continuar o mandato conquistado nas urnas. Toda a dureza da lei para o rondoniense. Já para o maior ladrão de todos os tempos, o ex presidente Lula, muda-se a lei para beneficiá-lo. É o Brasil, lamentavelmente!

AÇAÍ ABRE COM 600 EMPREGOS

Quase 50 milhões de reais investidos. Mais de 600 empregos diretos e indiretos, num dos maiores prédios do comércio da Capital rondoniense. Esse é um rápido resumo do que representa a inauguração, nesse sábado pela manhã. O Assaí Atacadista abre sua loja de número 165, ampliando ainda mais sua presença em nível nacional. Já tem lojas em nada menos do que 19 Estados. Na região norte, além de Rondônia, está presente no Pará, Amazonas, Amapá e Tocantins. O Atacado Assaí está localizado na BR 364, na rua da Beira. “Estamos muito orgulhosos dessa inauguração, que é um marco importante na história do Assaí. A população de Porto Velho e região passa a contar agora com uma nova opção de compra, com produtos e atendimento de qualidade, além de preços competitivos todos os dias, marcas registradas do Assaí. Temos certeza que iremos contribuir para o crescimento do comércio local e o abastecimento das famílias com essa abertura, repetindo o sucesso da rede em todo o País”, afirma Belmiro Gomes, presidente do Assaí Atacadista.

PRONTO SOCORRO TEM ONDE SE ESPELHAR

A festiva inauguração do novo prédio da Justiça rondoniense, nesta terça, concretizou um projeto que pode começar a ser utilizado com mais frequência nas obras públicas rondonienses. Sem investir um centavo de dinheiro público, o Judiciário terá, por um prazo inicial de 10 anos, renováveis tantas vezes quantas forem de interesse de ambas as partes, ou seja, tanto o locatário quanto o locador. É o sistema BTS, em que o prédio é construído com as características específicas determinadas pelo futuro locatário e qualquer obra, reforma ou conserto fica por conta do construtor. Afora tudo isso, uma obra que, com todos os percalços, burocracia e que pode ser paralisada até por denúncia anônima, como ocorre seguidamente, caso seja construída dentro dos parâmetros de licitações de obras públicas poderia demorar até dez anos, ficou pronta em pouco mais de dois anos. É esse sistema que será utilizado pelo governo de Rondônia para construir seu futuro Hospital de Pronto Socorro, em Porto Velho. O prédio do Judiciário servirá com um importante teste desse nova e criativa forma de se entregar obras em tempo recorde.

PREÇO EXAGERADO DA GASOLINA

Há algo de podre, no reino da Dinamarca! Em Pimenta Bueno, o litro da gasolina disparou e chegou a mais de 5 reais o litro. O site G1 da Globo, fez a denúncia e não se sabe, até agora, o que causou esse absurdo e se a fiscalização está atuando, na defesa dos consumidores. Em Porto Velho, há atualmente uma forte concorrência. Há postos vendendo o combustível a 4,24; outros 4,29 e há os que cobram até 4,59. Há necessidade de que os órgãos fiscalizadores atuem com rigor, para que o consumidor não seja ainda mais penalizado do que tem sido, pagando preços abusivos pelo combustível que necessita todos os dias. O brasileiro não cansa de ser explorado. É nos impostos, taxas absurdas, invenções quase diárias para tomar grana do seu bolso. Já temos uma energia elétrica absurdamente cara. Será que vamos ter que pagar também essa grana toda pela gasolina? Não é possível!

PERGUNTINHA

Você empresário, que já paga os maiores impostos do mundo, o que acha sobre o 2020 que vem aí ser um ano recordista em feriados e feriadões?


Fonte:Sérgio Pires





Últimas notícias

Carregando...

Notícias relacionadas

Carregando...
Carregando...